Gente Humilde da Rua São Sebastião: uma inspiração para Garoto?

Aníbal Augusto Sardinha, “Garoto”, (1915-1955), foi um músico brasileiro que dominava quase todos os instrumentos de cordas dedilhadas, especialmente violão, banjo, contrabaixo, violoncelo, guitarra, cavaquinho e bandolim. Sua maneira de compor e interpretar o samba e o choro ao violão deu novo rumo à música popular brasileira, influenciando alguns dos maiores nomes da geração posterior à sua e apontando o caminho que anos depois levou à bossa nova.

multi-instrumentista-Aníbal-Augusto-Sardinha
Imagem promocional do livro Gente Humilde, de Jorge Melo.

Alguns amigos ligaram Garoto a Pedro Leopoldo. Revelam Geraldo Leão e Tonico Malaquias que Garoto vinha com frequência a Pedro Leopoldo, reunindo-se na casa de Pedro Quintão, cunhado de Chico Xavier, na Rua São Sebastião, encontrando-se com Pachequinho, Inezita Barrozo, Cartola e Pixinguinha e outros músicos amigos de Pachequinho da metade do século XX. Nesta casa, hoje, funciona uma Funerária.

Um grupo variado e amigo que se reunia vez ou outra para apreciar e criar música. Sr. Geraldo Leão revela que Chico Xavier também teria participado de alguns encontros deste grupo.

Uma curiosidade para a cidade de Pedro Leopoldo diz respeito à composição da música Gente Humilde, cujo arranjo para melodia teria sido criado na cidade, num destes encontros, segundo relata Geraldo Leão. A música recebeu, posteriormente, letra de Chico Buarque e Vinícius de Morais.

Gente Humilde
Tem certos dias
Em que eu penso em minha gente
E sinto assim
Todo o meu peito se apertar
Porque parece
Que acontece de repente
Como um desejo de eu viver
Sem me notar
Igual a tudo
Quando eu passo no subúrbio
Eu muito bem
Vindo de trem de algum lugar
E aí me dá
Como uma inveja dessa gente
Que vai em frente
Sem nem ter com quem contar

São casas simples
Com cadeiras na calçada
E na fachada
Escrito em cima que é um lar
Pela varanda
Flores tristes e baldias
Como a alegria
Que não tem onde encostar
E aí me dá uma tristeza
No meu peito
Feito um despeito
De eu não ter como lutar
E eu que não creio
Peço a Deus por minha gente
É gente humilde
Que vontade de chorar

De acordo com o músico Paulo Belinatti, Gente Humilde foi gravada originalmente na casa de Pedro Quintão, em Belo Horizonte.

Gente Humilde [veio] de uma gravação muito ruim feita aí em BH na casa de Pedro Quintão. Este senhor, já falecido, era casado com a irmã de Chico Xavier (o famoso médium espírita) e tanto o Garoto quanto o Radamés frequentavam sua casa em BH na década de 50 (BELINATTI, 2009, apud JUNQUEIRA, 2010, p. 23).

Geraldo Leão revela que a música foi composta por Garoto em Pedro Leopoldo.

Breve pesquisa em Bibliotecas Digitais demonstra o mistério que paira sobre a composição da música Gente Humilde. Alguns autores dizem que a letra é de autoria de um poeta mineiro que pediu anonimato a Garoto. Outros afirmam ter sido a letra da música composta por Garoto nos subúrbios do Rio de Janeiro, e outros, em maior número, afirmam ser a letra de autoria de Vinícius de MOrais e Chico Buarque em período posterior à morte de Garoto. Pesquisas mais cuidadosas, como a que consta na dissertação de mestrado de Humberto Junqueira, revelam a ligação de Garoto com um grupo musical ligado a Pedro Leopoldo, reunindo-se na casa do cunhado de Chico Xavier, onde teria sido composta a primeira versão de Gente Humilde. Familiares de Chico Xavier conservam o violão de Pachequinho, em que constam assinaturas de grandes compositores, intérpretes e instrumentistas do período.

A música Gente Humilde foi imortalizada pela voz de Luiz Melodia. Para ver uma destas interpretações, no programa Sr. Brasil, clique aqui http://www.youtube.com/watch?v=z2E3wLSgYZA

para saber mais, consulte:

Gente humilde, vida e música de Jorge Melo, Edições Sesc, 2012.
A obra de Garoto para violão – o resultado de um processo de mediação cultural. Universidade Federal de Minas Gerais, Dissertação de mestrado em Música, 2010. Autoria de Humberto Junqueira, p. 23.

Pesquisa e texto de Gisnaldo Amorim e Júnia Sales. Para reproduzir parcial ou totalmente este post, entre em contato com os autores. Direitos reservados.

Anúncios

Luciene Lemos em Marrom de mais amar

Careca Produções apresenta o Show LUCIENE LEMOS em marromdemaisamar – Uma reverência à cantora Alcione e ao poeta mineiro Márcio Ares. Luciene Lemos é artista reconhecida, premiada e aplaudida por públicos amantes de sua belíssima voz e de sua performance artística. Um show imperdível e que certamente ficará na alma de todos os amantes da música e da poesia. O Blog Cultura de Pedro Leopoldo reverencia Luciene Lemos, pessoa humana e artista única, original, incomparável.

POSTOS DE VENDA:
Pedro Leopoldo: Balaio de Gatas, 36651404 –
Belo Horizonte: Cabelo & Cabeleira,37856106 –

Acompanham Luciene Lemos os violonistas Emerson Carllos (Goiaba & Maionese) e Evaldo Nogueira (Grupo Voz e Poesia e Morte e Vida Severina) e as percussionistas Júlia Júlia Borges e Débora Costa (Grupo Xicas da Silva). Também participam Fabiane Aguiar, Gustavo Marquezini e Tiago Colombini (integrantes do elenco de Morte e Vida Severina) e Diego D’Leon. (As mona lisas)

E você, vai perder esse show?

I Festival de Cultura e Cidadania de PL

Evento promovido pelo Movimento Kdê PL que está completando 01 ano de existência na cidade. O KdêPL é um movimento social apartidário, com organização estruturada a partir de ações na sociedade, apresentando críticas e propostas ao poder público em Pedro Leopoldo, com página no Facebook – http://www.facebook.com/groups/movimentokde/, e site http://www.kdepl.com/. No dia 29 de janeiro o movimento prepara um evento com artistas locais, com música, artesanato e ação solidária. Com toque de humor, irreverência e sonho por uma cidade mais dinâmica, administrada com ética e transparência. Com afirmação cultural, como pode ser visto no convite do evento.

Corporação Musical Cachoeira Grande

Em 2012 a Corporação Musical Cachoeira Grande – Pedro Leopoldo completará 100 anos de existência. Criada em 1912, a Corporação Musical Cachoeira Grande funciona à Rua São Paulo, 19, e é composta, atualmente, por cerca de 30 componentes. Nesta fotografia, a Corporação apresenta-se à frente da Igreja Matriz (ainda em construção). Esta fotografia integra o Acervo pessoal de Gislene Nunes. Seu pai era um dos componentes da Corporação. A Corporação Musical possui perfil no Facebook, administrado por Carolina Malaquias (maestrina) e destinado à divulgação de eventos em que a Corporação se apresentará e também dos preparativos para o centenário da Corporação. O grupo pode ser acessado em http://www.facebook.com/groups/362593747090362/